Yellow Sounds #49 – The White Album (1968)

the beatles

The White Album, como ficou conhecido o originalmente intitulado The Beatles, é um marco do início do fim da banda. Os Beatles já haviam se consolidado como sensação mundial após Sgt. Pepper’s, sua psicodelia e cores – contrastadas no álbum em questão – e vinham de momentos conturbados quando do lançamento desse que se tornou o primeiro duplo a alcançar o topo das paradas.

Os Beatles foram para um retiro espiritual na Índia, onde escreveram grande parte das faixas do álbum. Não ficaram tanto tempo por lá quanto planejado e nem mesmo o ambiente zen foi capaz de unir aquilo que estava se separando.

Durante as gravações, já de volta à Londres, houve vários momentos em que os caras trabalharam de formas separadas, em estúdios diferentes e The White Album só saiu como duplo para agradar a todos.

Se, de um lado, a relação entre eles se estremecia, do outro, a habilidade para compor e escrever não. The White Album é uma longa mistura com resquícios de psicodelia, rock, jazz, blues, folk e música experimental que, no fim das contas, deu muito certo.

While My Guittar Gently Weeps é a faixa que me conquistou. Uma composição de George Harrison que conta com ninguém menos que Eric Clapton na guitarra. Foi uma das escolhidas como single, dentre as quais destaco também Helter Skelter que, vejam só, me aparece com sinais de proto-punk. Em geral, considerada uma faixa de hard rock. As outras são Ob-La-Di, Ob-La-Da, da qual eu fugia/fujo e a boa Back in the U.S.S.R., de abertura.

Dentre as experimentações de McCartney que aparecem no álbum, está Why Don’t We Do It In The Road. Outra que conversou diretamente comigo, dessa vez em função do blues. Dito isso, é justo mencionar também Yer Blues.

warm gun

The White Album reúne, em suas 30 faixas, diferentes influências. Acrescento à lista de favoritas a balada-folk de Blackbird, a divertida Piggies e Happiness Is A Warm Gun, com todo esse jeitão de frase pra arte no tumblr.

Como eu faço parte do grupo dos que acham que um álbum só seria o ideal, e por isso, complemento os meus destaques com I’m so tired,  Don’t Pass Me By, Birthday, Cry Baby Cry e Savoy Truffle. O interessante é que essa última faz referência justamente à Ob-La-Di, Ob-La-Da. E o que isso quer dizer?

Quer dizer que Beatles faz de mim uma contradição em pessoa, mais uma vez 😉 The White Album pode ter marcado um fim para alguns, mas foi o começo para mim que, por muito tempo, pensei que o quarteto da Terra da Rainha não teria grandes chances comigo.

Esse é o poder de um álbum que aparece na nossa lista-guia dos “1001 discos para ouvir antes de morrer”, o 10° melhor de todos os tempos segundo a Rolling Stone e integrante da seleta lista dos 200 álbuns definitivos no Rock and Roll Hall of Fame.

The following two tabs change content below.

lrmatta

Lari Reis é um ser de outro planeta que acredita que se transformará em purpurina roxa quando morrer. Até lá, passa o tempo tentando aprender algo sobre música.