Yellow Sounds #44 – Lust for Life (1977)

Cantando La la la la la la la la…

lust for life capa

Pegou a referência do “la la la la” acima? Sem saber, esse pode ter sido um dos meus primeiros contatos com a música de Iggy Pop. Quando os tempos eram outros, o Capital Inicial era uma das bandas nacionais a emplacar canções de rock nas rádios e O Passageiro era uma pedida frequente.

A música é uma versão nacional para The Passenger. Introduzindo assim, pode até parecer que Lust for Life é um álbum de uma só canção, mas isso passa longe de ser verdade.

Resultado de mais uma colaboração com David Bowie – fizeram antes The Idiot, primeiro álbum solo de Iggy – esse é um álbum que entrega a qualidade que promete.

Em 77, a dupla estava com seus 30 anos e já acumulava considerável experiência de vida artística. Iggy era conhecido pelo trabalho com o The Stooges –  com quem lançou o sucesso Raw Power – e Bowie já nos havia apresentado personas marcantes e mais de dez álbuns de estúdio.

Houve quem tenha dito que, nessa parceria, Iggy tenha servido mais como um peão para Bowie, mas eu não quero entrar nesse mérito aqui. Quero destacar que eles não esconderam o que tinham a oferecer.

iggy bowie

Lust for Life, a mais envolvente de todas as faixas, foi escolhida para a abertura, provavelmente para deixar claro que não há espaço para decepções aqui. Estamos falando de uma das melhores músicas de todos os tempos. Várias vezes utilizada em comerciais e filmes e amplamente reaproveitada. Ouçam Last Nite, do The Strokes ou qualquer outra desta playlist para entenderem melhor.

Na sequencia, temos Sixteen. Todas as faixas do álbum foram escritas por Iggy. Essa foi também composta por ele.  É, então, a mais Pop de todas e uma de minhas favoritas. Aliás, dessa vez, meus destaques se concentram na primeira parte do álbum, faltando citar Some Weird Sin, Tonight e Success.

Essas duas últimas, marcam a presença mais perceptível de Bowie. Não apenas pelo vocal compartilhado (em Tonight), mas também pelo estilo (Success). Não quero entrar nesse mérito aqui².

Rumo ao final do álbum, chegamos às demais faixas que são as que mostram melhor o resultado final da mistura que criou Lust for Life. Há um equilíbrio maior, talvez pendendo para o lado de Iggy, afinal, o álbum é dele.

Assim, da mesma forma que começou, o álbum termina muito bem, com Fall In Love With Me. Um nome de música convidativo para quem chegou ao fim desse texto e está prestes a dar o play, né?! 😉

The following two tabs change content below.

lrmatta

Lari Reis é um ser de outro planeta que acredita que se transformará em purpurina roxa quando morrer. Até lá, passa o tempo tentando aprender algo sobre música.