Yellow Sounds #12 – “Rumours” (1977)

The best out of the worst… Ou, sobre saber tirar proveito de momentos ruins.

71YQa+dEhwL._SL1426_

Uma dica que sempre repito lá no Yellow é para que as pessoas estejam atentas às influências de suas bandas ou artistas favoritos. Além da possibilidade de descobrir “novos” sons legais, a gente passa a se conectar mais com a música que já ouve.

Dia desses, em minha ronda diária pelo Instagram, vi que o melhor show da ainda curta vida de Lorde foi um do Fleetwood Mac. Já há algum tempo, ouvia uma coisa aqui ou ali da banda principalmente por saber que Dave Grohl tem suas afinidades musicais com Stevie Nicks.

lorde fleet

Decidi buscar um álbum para ouvir e encontrei Tusk e Rumors na lista dos “1001 discos para ouvir antes de morrer”. O primeiro é um álbum mais experimental que, inclusive, esconde algumas teorias sobre seu teor sexual e até encaixaria bem com o tema do PontoCast da semana. Já ouviram o cast, né?

Mas foi com Rumors que eu finalmente me identifiquei com o som da banda. Talvez até por ser um álbum de estilo mais definido, linear. Pode ser que, a essa altura, eu precise deixar claro que não conheço todos os álbuns da lista dos 1001 e estou sim escrevendo sobre dois que acabei de conhecer. Faz parte da experiência!

Pois bem… Dentre suas várias fases e formações, o Fleetwood Mac viveu um período um pouco mais pop após a entrada de Stevie e Lindsey Buckingham. Tusk foi a primeira produção dessa nova fase e, talvez, isso justifique tantas variações e experimentos. Rumors veio no ano seguinte e foi um sucesso. Ainda é um sucesso.

Sei que não estou sozinha dentre aqueles que veem Tusk como um flop. Aqui, você pode ler um artigo – em inglês – sobre “Como o Fleetwood Mac fez uma obra-prima que falhou”. Assim como também não estou só dentre os que consideram Rumors o melhor álbum.

E é ai que a frase que abre esse post passa a fazer sentido. Durante a produção desse álbum, o grupo não estava numa boa fase. Foi Stevie quem disse que Rumors é o Fleetwood tirando o melhor de seu pior. Fala que isso não é um baita ensinamento pra vida?

rumors

Os Fleetwood Mac tem um antigo histórico de relacionamento entre membros da banda. Por vezes, rompimentos causaram tensões e, dessa vez, as novas relações começaram a ter efeito negativo. A tensão era tal a ponto de o grupo não se encontrar fora do estúdio. Fofocas que surgiam na mídia contribuíram para aumentar o desgaste emocional da banda e tornar todo o processo ainda mais exasutivo.

De alguma forma, ainda assim, conseguiram juntar o melhor de cada um e fazer uma obra-prima. Talvez devesse existir um artigo sobre Como o Fleetwood Mac fez de um possível flop um sucesso.

Pois bem, fica então a indicação desse álbum que nos prova que é realmente possível tirar proveito de momentos ruins 🙂

________________________________________________________________________________________

Lari Reis é jornalista, social media e viciada em música. Você pode (e deve) ver seus outros textos sobre música no seu longevo site Yellow Ever Shine e aqui no PontoJão semanalmente na coluna Yellow Sounds.

The following two tabs change content below.

lrmatta

Lari Reis é um ser de outro planeta que acredita que se transformará em purpurina roxa quando morrer. Até lá, passa o tempo tentando aprender algo sobre música.