Coluna | Vira a Página #62 – O multiverso literário de Stranger Things

Recentemente, algumas noticias vieram para alegrar os fãs de “Stranger Things” que ainda aguardam ansiosamente  a terceira temporada pela Netflix. O melhor de tudo é que essas novidades mostram como o universo da série está se expandindo e sendo explorado tantos nos quadrinhos como nos livros.

Em maio, será publicado pela Dark Horse uma prequela em quadrinhos de “Stranger Things”. Com o titulo “Stranger Things: SEIS” (Stranger Things: SIX no original), a HQ terá roteiro de Jody Houser (Faith) e arte de Edgar Salazar (Exterminador) e será dividida em quatro partes. Segundo a sinopse divulgada, teremos a oportunidade de conhecer Francine. Uma adolescente com precognição que passou por uma vida de abusos por parte da própria família e depois pelo Dr. Brenner dos Laboratórios Hawkins. “O doutor quer controlar seus poderes assim como o de outras crianças com dons que eles mantêm presos no laboratório. Destruída por visões perturbadoras, ela vê uma oportunidade de mudar sua vida. Mas a que preço?”

Obviamente, uma noticia como essa desperta curiosidades. Uma delas é como essa HQ apresentará informações novas para o público que acompanha a série e se alguma coisa será utilizada no futuro da série. Apenas para traçar um paralelo, as HQs de Doctor Who seguem um caminho diferente daquele da série clássica. Apesar disso, vez ou outra há alguma referência que só quem é fã consegue perceber. Será que com “Stranger Things: Six” acontecerá a mesma coisa? De qualquer forma, não deixa de ser uma ótima ideia sendo bem explorada em outra mídia.

Outro exemplo disso pode ser encontrado no anúncio do lançamento do livro “Darkness on the Edge of Town” (Escuridão no Limite da Cidade, em tradução livre), de Adam Christopher. A publicação chegará as livrarias americanas (e pela Amazon) em 4 de junho. Para o site Comic Book, o autor revelou que o livro será ambientado em Nova York no ano de 1977 e seguirá o Detetive Hopper durante seu tempo como detetive de homicídios. Essa história será revelada graças à curiosidade do Eleven que encontra uma caixa de papelão no porão onde está escrito “Nova York”. É nesse momento que, segundo a sinopse divulgada, ela questiona seu pai adotivo a respeito do passado.“Por que Hopper deixou Hawkins todos esses anos atrás? O que significa “Vietnã”? E por que ele nunca falou sobre Nova York?”

Stranger Things

 

No Vira a Página 47, já havia comentado sobre as publicações de livros da parceria entre a editora Penguin Random House e a Netflix. Nesse sentido, vale lembrar que “Stranger Things: Suspicious Minds”, de Gwenda Bond, foi lançado no inicio do mês. Com essas informações em mãos, não há dúvidas de que os personagens criados pelos irmãos Duffer tem sobrevida garantida por muitos anos além da série. Se havia alguma dúvida disso antes, agora não há mais. O que fortalece ainda mais essa afirmação é o fato de que há uma sintonia entre essas publicações e o estilo do universo televisivo, algo que pode ser percebido tanto pelas capas como pelas sinopses divulgadas. E ai, curiosos? Como tá o hype? Não sei vocês, mas para mim esses bagulhos são sinistros.

Leia mais:

Marcus é redator no site Leituraverso e um dos hosts do podcast Leituracast.

 


Gostou do texto? Gosta de escrever também? Seja um colaborador do PontoJão! Entre em contato conosco pelo Twitter, pelo grupo do Telegram ou mande um e-mail para contato@pontojao.com.br

The following two tabs change content below.