Tradução | Masterclass com Neil Gaiman?

Como Neil Gaiman ganhou tanta notoriedade escrevendo praticamente todo tipo de história, desde romances históricos até HQs e roteiros para rádio e filmes? Pergunte a qualquer um de seus fãs e a resposta será uma série de variações para “ele sabe escrever boas histórias”. Parece uma habilidade simples, mas contar histórias no nível de Gaiman exige expertise no que há de mais essencial e ainda não explorado nas possibilidades do texto narrativo em si — expertise essa que o autor, ultimamente, tem se mostrado disposto a compartilhar. Alguns anos atrás, a aula “Como Vivem as Histórias” disponibilizada no Open Culture (em inglês); agora ele aparece com um curso online sobre a arte de narrar para a MasterClass. 

“Seres humanos são criaturas contadoras de história” diz o autor no trailer do curso. “Histórias são vitais. Nós carregamos verdades através das histórias. Essa é a magia da ficção”. Mas mesmo o autor de narrativas como Sandman, Lugar Nenhum, O Mistério da Estrela, Deuses Americanos, Coraline, e muitos outros títulos tem confissões a fazer acerca da prática de escrever: “Escrever um romance é como dirigir na neblina com um dos faróis apagados”, por exemplo. 

Neil Gaiman

“Você não consegue ver muita coisa a sua frente, mas de vez em quando, a neblina vai amenizar”. E quando o assunto é a hora de fazer revisão, ele explica, “fazer a versão final é fazer parecer que você sabia o que estava fazendo o tempo todo”. O que é imprescindível nesse processo angustiante? A “certeza de que você é brilhante”. 

Não que não haja mais nada que você precise saber. As dezenove lições da MasterClass de Neil Gaiman cobrem tudo desde “usar a ‘mentira’ de uma história inventada para dizer uma verdade humana”, até “como superar o medo de errar”, “aberturas frias, segurar informações, encontrar peso emocional e escolher detalhes memoráveis”, e até a “arte da construção de palavras”, o que Gaiman descreve como “honestamente, a alegria de brincar de Deus”. Outras lições assertam sobre casos específicos focando em seus contos, romances e HQs, os quais, sem dúvida alguma, inspiraram muitas pessoas a contarem suas próprias histórias. Mas quem, ouvindo Neil Gaiman falar sobre narrativas, poderia resistir a pôr a mão na massa também?

Adaptado do Open Culture

The following two tabs change content below.
Hippie com raiva.