Game of Thrones: Review de “The Queen’s Justice” e o que vimos até agora

Após um longo inverno estamos de volta ao universo de gelo e fogo, e essa sétima temporada já chegou com pé na porta e tapa na cara – talvez por estarmos chegando no final da série, ou talvez por ser uma temporada bem mais curta que as anteriores. Embora já estarmos em “The Queen’s Justice”, começamos a temporada sendo jogados no meio da guerra entre as duas rainhas – A Louca e a dos Dragões. Nesses três primeiros episódios são apresentados todos os inimigos e aliados de cada um dos lados e os indícios de para onde a história vai em cada núcleo.

Até agora o placar dessa guerra está 2 para Rainha Louca a 0 para a Mãe dos Dragões. Esta acabou perdendo seus três principais exércitos westerosis – Dorne, Tyrell e Greyjoy. E falando nos piratas, tivemos a reapresentação do Euron Greyjoy, agora do lado da Cersei, mais louco que a tia do Batman e tocando o terror pelos sete mares. Paralelamente, vemos o Rei do Norte tentando convencer todo mundo que lutar pelo trono de ferro é uma grande besteira, já que os Outros estão chegando e não vai sobrar ninguém nos Sete Reinos para ser governado.

The Queen's Justice

Algumas teorias já estão pululando pelas internets de como o Rei da Noite irá ultrapassar a grande Muralha de gelo. A principal delas é a queda da própria Muralha, que pode ser pela quebra da magia pelo Bran (contaminado pelo toque do Rei da Noite na temporada anterior), ou por algum dos famosos berrantes. Mas eu gosto mesmo é da teoria da Era do Gelo. Já repararam na abertura que o mar no lado direito da muralha está congelado formando uma grande ponde continental? Pois é, nós humanos chegamos nas Américas assim, e quem sabe os Outros não irão pra lá da Muralha do mesmo jeito…

Outra coisa a ser destacada nessa temporada são as amarrações de pontas soltas das temporadas anteriores e os links também com esses anos anteriores. Nesses três primeiros episódios várias vezes fomos remetidos à primeira temporada, como na cena da Arya com a Nymeria em que ela fala com a loba “essa não é você”. Essa frase remete ao que a personagem fala com seu pai na primeira temporada “mas essa não sou eu”.

Esse encontro, como vários outros, mostram que os produtores andam lendo os fóruns de fãs por aí. Além do encontro da menina com a loba, “The Queen’s Justice” nos trouxe também o tão clamado Jonaenerys! Finalmente Jon e Daenarys se encontraram em Pedra do Dragão e não foi amor à primeira vista como o fandom queria. Rolou uma bela torta de climão e o pretenso sobrinho não quis (ainda) se ajoelhar para a tia. Pode ser que eles se unam, como aliados, não como amantes – pelo menos é o que espero.

The Queen's Justice

Ainda sobre os dois, em “The Queen’s Justice” pode ter sido finalmente fechada a profecia do Azor Ahai, o príncipe/princesa prometido(a), sendo um dos dois ou mesmo os dois, mas como disse a Mulher Vermelha, ambos fazendo parte da profecia. E um terceiro ponto desse encontro tão importante seria a chegada da segunda das três cabeças dos dragões – a Dany a primeira, Jon a segunda e algumas hipóteses sobre a terceira: o Tyrion, ou o Bran, ou qualquer outro personagem, se não morrer algum dragão…

E o encontro mais aguardado por todos os fãs começou a ser formado nesse último episódio. O encontro dos irmãos Stark! Já temos Jon e Sansa numa linda cumplicidade em Winterfell. Agora Bran, louco de cogumelo, de Três Olhos, chegou na sua casa e, se tudo der certo, muito em breve, a Arya se encontrará com eles. Mas como nada é fácil nessa saga, logo agora, o irmão (bastardo) mais velho está sob “os cuidados” da eterna Khaleesi.

The Queen's Justice

O que realmente me preocupa, já chegando na metade da temporada em “The Queen’s Justice”, é saber que esses criadores não tem o menor pudor em matar criaturas mágicas, já se foram quatro dos seis lobos, e todos os indicativos foram apresentados de que um ou mais dragões vão morrer ainda essa temporada. Pra quê?! Continua matando gente que é melhor! De resto, só aguardamos o que a segunda metade dessa temporada trará para nós; o quarto capítulo promete lidar com todo o sangue e fogo já prometido sobre Westeros.

***

Texto escrito por Bere Chiavegatto: professora, membro do Cast nas Infinitas Terras, host do Cantinho Sentimental e ser de luz.

The following two tabs change content below.

erikavilez

Erik (sem C) é escritor, roteirista e dançarino de hula profissional lá fora. Aqui dentro, Erik é redator-chefe e comercial do site, além de criador, host e editor do PontoCast, o podcast carro-chefe da casa.