Resenha: Invasão Zumbi (2016)

“Eu te levarei de volta à mamãe, custe o que custar.”

Título: Invasão Zumbi (Train To Busan)

Diretor: Yeon Sang-ho

Ano: 2016

Pipocas: 9.5/10

Com um tema bastante batido, “Invasão Zumbi” tem como seu ponto principal a forma de retratar os zumbis. Sem tentar trazer algo novo ao gênero, o longa nos traz as criaturas em uma versão bastante simples. E isso é ótimo.

O filme inicia contando a história de Sok-woo e sua filha Soo-an, em um trem que os levará de Seul para Busan. Mas, durante a viagem, o trem é invadido por zumbis, que matam vários tripulantes e outras pessoas. E enquanto vão em direção a Busan, os passageiros têm que lutar por suas vidas contra os zumbis.

Todos os fatores levam o espectador a criar uma expectativa inicial ruim ao filme: a temática zumbi que já vimos de diversas formas em diversas mídias, o título genérico (pelo menos aqui no Brasil) e principalmente estar totalmente fora do eixo EUA-Europa, o mais habitual para boa parte do público.  Aos poucos a expectativa negativa se dissolve e abre espaço a um empolgante filme de sobrevivência – que, inclusive, é melhor que muitos outros ocidentais do mesmo estilo.

A ação é insana, simples e sempre impactante. A fluidez da tensão no ambiente, seja tratando da relação interpessoal dos personagens, ou deles com os zumbis, é bem trabalhada, e em pouquíssimos momentos força situações estranhas ou impossíveis. O roteiro é eficaz em intercalar cenas de drama, ação e até comédia sem nunca perder a naturalidade – drama, aliás, que consegue arrancar facilmente algumas lágrimas dos mais sensíveis.

As atuações, apesar de algumas um pouco “afetadas”, são muito boas e em nenhum momento se tornam um problema. Gong Yoo nos entrega um Sok-woo frio mas também sentimental de forma excelente, e cria uma ótima dupla com sua filha (Kim Soo-An) – que rouba a cena nos momentos finais. O social entre os personagens também é bem construído e nos causa empatia mesmo com os personagens que aparecem pouco.

Mais rápidos que os de “The Walking Dead“, mas menos inteligentes ou devastadores que os de “Guerra Mundial Z”, a caracterização dos zumbis é medonha. A maquiagem é excepcional e todos o trabalho de movimentação deles também, enquanto os efeitos especiais são ótimos e não deixam a desejar em momento algum, ainda que comparados a blockbusters americanos.

Empolgante e divertido, “Invasão Zumbi” é um ótimo exemplo de como fazer o comum, se bem executado, pode resultar em boas obras. Além de mostrar o melhor dos zumbis, ainda demonstra que também devemos dar mais atenção a filmes originados de países dos quais não estamos acostumados a consumir conteúdo. Afinal, temos ótimos exemplos de filmes pelo mundo, e de bons filmes ninguém se cansa.

The following two tabs change content below.

Lucas Bulhões

Estudante de programação que odeia programar e que se arrisca a escrever nas horas vagas. Sonha em conhecer todo mundo sem ao menos conhecer a si mesmo. Libriano não praticante.