Primeiras Impressões: Preacher (2016)

“Eu vim para salvá-los.”

photo_2016-05-19_13-59-49

Quando as primeiras notícias de que haveria uma série de televisão baseada nos aclamados personagens dos quadrinhos de Garth Ennis e Steve Dillon apareceram, não poderia existir reação mais compreensível do que uma profunda desconfiança, afinal de contas, é de Preacher que estamos falando e, caso você não tenha nenhuma noção do que são os quadrinhos dessa história, vale um Google para observar alguns painéis, lembrando que a trama central é que Jesse Custer, um pastor encrenqueiro, é possuído por uma força espiritual chamada “Gênesis” que o dá poder para fazer com que qualquer um obedeça aos seus comandos, desde que o entenda. Quando Gênesis foi criada, Deus abandonou o Paraíso, e o objetivo de Custer é encontrar o Todo-Poderoso. Daí já se sabe que Ennis não é um escritor normal, e que talvez Dillon seja tão louco quanto, ao dar rostos, gestos e movimentos para esses personagens e histórias que caminham na corda bamba entre o absurdo e o impensável.

AMC-PReacher
Dominic Cooper

O protagonista, Jesse Custer, está sendo atuado por Dominic Cooper (o Howard Stark jovem), e além dele, também já fomos apresentados aos outros personagens centrais, como sua namorada Tulip (Ruth Negga), o vampiro irlandês Cassidy (Joe Gilgum) e Eugene Root (Ian Colletti) que recebe o peculiar apelido de “Cara de Cu”, graças a um acidente com uma arma, e antes que algum desavisado reclame da tradução, em inglês ele se chama Arseface, tradução literal do nome do personagem. O que a série mostra em seu primeiro episódio é uma introdução simples, rápida e eficaz, de todos esses personagens, e também do poder que Jesse recebe. As apresentações são todas excelentes, pois todos eles têm personalidades e características extremamente absurdas. Em cinco minutos de tela e um roteiro criativo a série conseguiu mostrar exatamente a que cada um veio. Além disso, o grupo está muito bem ambientado na cidadezinha de Annville, Texas, numa fotografia de tirar o fôlego!

preacher-cast
Jesse Custer, Tulip e Cassidy

É claro, não poderia ser diferente, existem algumas discrepâncias entre as HQs e o desenvolvimento da série, mas elas não são absurdamente desconfortáveis e ainda são compensadas duplamente. Primeiro porque a produção, que tem nomes como o de Seth Rogen (A Entrevista) e como co-produtores executivos os próprios Garth Ennis e Steve Dillon, parece ter uma boa ideia do que uma adaptação honesta de Preacher seria e, portanto, a essência dos quadrinhos está lá: irreverência religiosa, iconoclastia extrema, gore (tripas e sangue, muito sangue e fraturas expostas) entre outras coisas que fazem com que qualquer um duvide, sinceramente, da sanidade mental de qualquer um que participe desse projeto. Num segundo momento, somos brindados também com atuações brilhantes, de todos os personagens. Em suma, a série convence logo de cara.

“Eu sei, eu sei,” isso pode ser uma impressão muito forte para um primeiro episódio, entretanto, não dá pra negar que o que Preacher entrega é uma primeira impressão que te deixa satisfeito com presente e ansioso/apreensivo com o futuro.

prea_arseface_wondercon_ig_002_fm3.jpg
Não poderia faltar: Cara de Cu e seu delicioso jantar

Leia Também:

Citamos Preacher ao lado de outros quadrinhos que não são para crianças

E já que o tópico é quadrinho, Banca Cast para vocês

E já que estamos falando de estreia, Alice Através do Espelho está aí

The following two tabs change content below.