Primeiras Impressões: “BoJack Horseman” – 2ª Temporada (2015)

Finalmente, depois de alguma espera, no dia 17 de julho estreou a segunda temporada de BoJack Horseman na Netflix, mas , antes de começarmos a falar dessa nova temporada, SEGUREM SEUS CAVALOS! Vamos entender primeiro do que se trata essa maravilhosa série animada para adultos e em que ponto ela parou na temporada anterior.

BoJack Horseman é ambientada num mundo onde humanos e animais antropomórficos convivem juntos e conta a história de um ator que fez muito sucesso nos anos 90, mas que, atualmente, está arruinado e vive de ser rememorado como o astro de uma sitcom antiga (como diz a música de encerramento do show). Bojack Horseman (Will Arnett), com seu nome premonitório, é o personagem principal e, na primeira temporada, ele planeja, através de uma autobiografia escrita pela ghost writer Diane (Alison Brie), voltar a se tornar um artista relevante. O problema é que BoJack tem muitos problemas, e, para nossa alegria, a série se constrói em cima de expô-los e de através deles satirizar a recentíssima cultura pop e o mundo artístico com “sacadas excelentes” (SEM C, Erik. Referência: Séries de Verão 2015).

 

A temporada anterior se encerrou com a biografia de BoJack já lançada (e fazendo sucesso) e com ele sendo convidado para fazer um filme sobre a vida de seu maior ídolo, o cavalo Secretariat (John Krasinski), mas, apesar das boas notícias, o “herói” sofre o golpe de ver Diane casar-se com Mr. Peanutbutter (Paul F. Tompkins) e todo esse background pede por uma mudança de atitude. Justamente por isso, vemos um BoJack extremamente positivo, com uma nova atitude, se esforçando ao máximo para ser algo que ele não é, tentando parar de viver de passado e, finalmente, seguir em frente. Não bastasse isso por si só se tornar uma grande piada, todo esse alto astral atrapalha na atuação de BoJack como Secretariat, paradoxalmente, a onda de alegria e felicidade e de esquecimento do passado só o empurra cada vez mais para tristeza e depressão e para a lembrança do passado.

O que vimos na primeira temporada foi o desenvolvimento do ambiente em que BoJack está posicionado e também os seus relacionamentos com o elenco de apoio, seu melhor amigo Todd (um excelente Aaron Paul), sua ex-esposa e agente Princess Carolyn (Amy Sedaris), seu colega de trabalho Mr. Peanutbuter e sua ghost writer/antigo affair/atual desilusão amorosa Diane. Na segunda temporada, tudo, no primeiro episódio, indica que estamos prestes a imergir mais ainda nos conflitos do próprio BoJack, mas não da mesma maneira que na temporada anterior, ou seja, durante e depois do sucesso de Horsing Around, mas é chegada a hora de conhecer mais da família e da infância de BoJack.

Por fim, temos uma continuidade bastante fluida da primeira para a segunda temporada, que promete muitas risadas e muitas reflexões sobre o cruelmente absurdo (ou absurdamente cruel) mundo da indústria do entretenimento e todos os seus maravilhosos operários.

Fique conosco para ver o nosso comentário final sobre a segunda temporada de BoJack Horseman, assim que alguém da nossa equipe terminar de assisti-la.

The following two tabs change content below.