Yellow Sounds #35 – Pet Sounds (1966)

À Brian Wilson, pelos 50 anos de Pet Sounds

pet cover

No começo da semana, a obra-prima dos Beach Boys completou 50 anos. Vários textos bem bacanas surgiram na web para celebrar a data. Obviamente, um álbum dessa importância está em nossa lista-guia dos “1001 discos para ouvir antes de morrer” e eu só me arrisco aqui, com pouco conhecimento de causa, a fazer um post sobre porque, antes da música, fui atraída pela história.

Quem é fã dos Beach Boys ou conhece sobre a banda sabe dessa história, de toda genialidade e do papel de Brian Wilson, que nos traz até aqui. Ainda assim, é por esse caminho que vou seguir para falar de Pet Sounds. Estamos diante do tipo de coisa que me faz gostar e querer escrever sobre música e espero que seja do tipo de coisa que faça você, leitor, querer ouvir essa música.

Os Beach Boys são da Califórnia (é bem provável que o nome entregue isso a qualquer um, apesar de que a aparência deles não). Já haviam lançado vários álbuns seguindo essa vibe da turma do surf, mas o compositor Brian Wilson sentia que os ventos estavam mudando de direção, ou que o mar estava flat, e que ele precisaria fazer a banda ir além.

beach boys

Era um dos momentos em que artistas britânicos, como os Beatles, invadiam as paradas de sucesso e, mesmo que de forma não intencional, propuseram um desafio que Brian aceitou. Sempre instigado a se superar – sina de quem nunca parece estar satisfeito – ele abriu espaço para experimentações que deram origem à Pet Sounds.

Houve resistência da parte dos outros membros da banda –  Carl e Dennis Wilson, Alan Jardine e Mike Love -, mas felizes foram eles de terem acatado as ideias de Brian. Saindo do lugar comum, o novo álbum não apenas fugia à identidade do estilo californiano, como apresentava elementos curiosos como latidos e apitos de cachorros, campainhas, latas e garrafas de refrigerante, teremim…  Além de tudo, era um produto de um esforço individual de Brian, pessoal e mais profundo.

Tudo isso soa como algo louco o suficiente para ser um fracasso ou um sucesso. E o fato de ter sido um sucesso é que faz essa história ser tão interessante para mim. E não só para mim. Se os já citados Beatles “forçaram” os Beach Boys a subir seu nível, foi Pet Sounds que “forçou” o quarteto britânico a buscar esse novo patamar trabalhar para ultrapassá-lo – o que isso teve grande influência na criação de Sgt. Pepper. E, por vezes, ficou entre esses dois álbuns a escolha de “o melhor da história”.

Pet Sounds mudou a história dos Beach Boys, trouxe nova visão sobre álbuns de estúdio e influenciou muita gente ao longo desses 50 anos. Um dos maiores dentre todos os já citados aqui na coluna.

Sobre as músicas? Os destaques vão para o álbum todo Wouldn’t It Be Nice, I’m Waiting For The Day, Sloop John B, God Only Knows (a favorita do Macca), I Know There Is An Answer, Here Today

Às vezes, é realmente difícil não listar todas ou quase todas as faixas como destaque. A questão principal com Pet Sounds é que esse é um dos álbuns que justificam bem a ideia de pensar no produto como um todo e de ouvir do início ai fim, na ordem “determinada”. Prontos? Apertem o play!

The following two tabs change content below.

lrmatta

Lari Reis é um ser de outro planeta que acredita que se transformará em purpurina roxa quando morrer. Até lá, passa o tempo tentando aprender algo sobre música.