Patti Smith para além do Nobel – outros covers da poetisa do punk

Patti Smith e Bob Dyllan

Que seja Patti Smith, então. Foi o que eu pensei quando soube que a poetisa do punk tinha sido escolhida para representar Bob Dylan na cerimônia do Prêmio Nobel, que aconteceu no dia 10. Depois da demora em se manifestar e dizer se aceitaria ou não a honraria, Dylan comunicou que não poderia comparecer e aí entrou Patti.

Por que Patti Smith?

Não sei ao certo porque a academia escolheu Patti para representar Dylan. Tenho suposições que, de cara, me fizeram considerar justo a ponto de não conseguir pensar em outro nome.

No histórico da vida, Another Side of Bob Dylan está entre os álbuns que fizeram parte da formação da jovem Patricia Lee Smith, antes mesmo que ela decidisse sair pelo mundo, se tornar Patti e se dedicar à arte.

Artista visual, cantora, compositora, e poeta… Características que conversam bem com o trabalho de Dylan e a justificativa da academia para dar a ele o Nobel de Literatura. Desde muito cedo envolvida pela arte – faço destaque pessoal aos anos ao lado do inspirador Robert Mapplethorpe -, Patti Smith tem a bagagem necessária para dar voz à poesia que academia só valorizou quando Dylan a transformou em música.

Dar voz à composição de outros não é novidade para Patti. Como exemplo, vale mencionar o belo Twelve, álbum de estúdio lançado em 2007 que, como o nome indica, traz 12 faixas e são todas cover, começando por Jimi Hendrix, seguindo até os Stones e o próprio Dylan, Nirvana e R.E.M.

A cerimônia

Para o Nobel, a escolhida foi a difícil A Hard Rain’s A-Gonna Fall, lançada por Dylan em 1963. Como já explorado à torto e à direito no universo da internet, Patti se emocionou, errou a letra, foi aplaudida, se recuperou, deslizou de novo, mas entregou uma bonita homenagem. Embora prejudicada pelo excesso de emoção, a interpretação dela me fez ver de forma ainda mais clara a poesia de Dylan na canção.

Os outros covers

Regravar música de outros artistas não é nada incomum. Quando o primeiro álbum de Patti foi relançado em CD, ganhou My Generation, do The Who, como faixa bônus. Uma animada versão, com toda a liberdade que um ao vivo permite: 

Patti Smith
Ouça My Generation no Spotify

Tomando o Spotify como base, uma das músicas mais ouvidas da artista é sua versão para Smells Like A Teen Spirit, do Nirvana. Diferente, singular. Um bom contato com a contribuição poética que Patti é capaz de dar:

Patti Smith
Ouça Smells Like Teen Spirit no Spotify

E, finalizando a breve lista, Are You Experienced?, de Jimi Hendrix, que é também a faixa que abre o já mencionado Twelve. Temos, assim (espero), um bom convite para seguir ouvindo Patti Smith!

Patti Smith
Ouça Are You Experinced? no Spotify

Para além dos covers

E para quem gostou da brincadeira e está pronto para ouvir mais Patti Smith – ou já estava desde sempre -, a sugestão é começar pelo já mencionado Horses (1975), seu álbum de estréia. Ou, se preferirem, o seu mais recente, Benga (2012).

Divirtam-se!

The following two tabs change content below.

lrmatta

Lari Reis é um ser de outro planeta que acredita que se transformará em purpurina roxa quando morrer. Até lá, passa o tempo tentando aprender algo sobre música.