Orphan Black – 5ª Temporada (2017): aponta um excelente último ano (primeiras impressões sem spoilers)

“Orphan Black”, a queridinha série das clones interpretadas por Tatiany Meslany e sua incrível mitologia, está de volta, e retornou com tudo. E os fãs não poderiam ficar mais felizes com a Netflix disponibilizando, todo domingo, cada episódio novo, não é mesmo?

A quarta temporada de “Orphan Black” foi uma grande surpresa; depois de um terceiro ano irregular, fomos surpreendidos com o resgate de qualidade e, mais do que isso, tivemos uma temporada reveladora e nostálgica para não colocar defeito. Sem falar da season finale repleta de reviravoltas, nos deixando aflitos. Enquanto isso, o retorno nessa quinta temporada não foi surpreendente, mas também não deixou a desejar. “Orphan Black” se mostrou tão firme conduzindo sua trama final que ficou impossível não se empolgar para o que os episódios futuros nos aguardam em sua última temporada. A série já passou por seus altos e baixos, mas sempre voltou a impressionar e, se chegamos até aqui, é porque esperamos por uma resolução satisfatória para as clones, e felizmente, o primeiro episódio da quinta temporada garante isso.

Não foi um episódio lento, e umas das melhores coisas foi ter dedicado tempo necessário para a participação das clones, sem soarem deslocadas – quem não sente falta da interação entre elas? – e, ao mesmo tempo que dava continuidade para o gancho deixado na temporada anterior, apresentava um desenvolvimento compensador e animador, eliminando possíveis deixas que poderia fazer desse quinto ano arrastado, um ano arrastado. Além disso, avançava e mostrava que não veio para enrolar, determinado a entregar o seu melhor.

orphan black

Falando dos personagens, Felix (Jordan Gavaris) é um dos motivos pelos quais a série vem se corrigindo; na quarta temporada, o vimos se aventurar no plot sobre o seu passado, o que foi interessante, até o ponto em que percebemos o quanto ele foi ficando afastado das tramas principais. Os roteiristas, também percebendo isso, afim de tornar uma temporada que já estava boa, melhor, foram achegando-o mais para o potencial que tem. E isto se mantém no seu ano atual, desempenhando um papel relevante. O mesmo se deu com o casal Donnie e Alison – não seriam eles mesmos sem as situações embaraçosas e engraçadas que se envolvem, e com a presença de Helena a dinâmica só melhora.

Basicamente, o episódio não focou em trazer todas as respostas que esperamos – colocando mais mistérios. No entanto, não deixou de nos preparar, nos informando que estamos perto das revelações, e o mais importante: terminou de maneira empolgante. Teríamos momentos tensos como a season finale passada já no segundo episódio? Mas o que não deve faltar mesmo são cenas memoráveis e icônicas para nos despedimos com maestria de Sarah e companhia.

The following two tabs change content below.

Felipe Oliveira

Gosto de tudo um pouco, mas me limito em não arriscar muito e talvez escrever seja o meu momento mais sincero no qual posso expor minhas ideias e pensamentos.