Análise | One Punch Man (2015) – uma porrada de contravenções

Num mundo ameaçado pelos seres mais perigosos do universo, um homem detém o poder inigualável para enfrentar todas as ameaças com um único golpe. Seu nome é Saitama, um careca magricela que veste um colant amarelo com uma capa branca; alguém que você certamente não confiaria a sua vida, nem a vida de uma pessoa que você não conhece; um ser humano cuja aparência não passa qualquer tipo de segurança; e se você quisesse acreditar que ele é alguém em quem se pode confiar o destino do universo, você provavelmente seria um vilão no mundo real. Sério, “One Punch Man” é muito legal, mas olha a cara do Saitama:

Felizmente, o anime também não leva o Saitama muito a sério, e isso é justamente o que torna tudo tão engraçado. É divertido ver a dor e o sofrimento de milhares de seres sendo sumariamente exterminados quando a maior preocupação do personagem principal é comprar uma pacote de miojo. Pensando bem, é meio sádico… da parte do Saitama. O sonho do protagonista é encontrar alguém tão poderoso que o soco mais forte dele (Saitama) não seja suficiente para acabar com a luta. Considerando que todas as vezes que ele resolveu a luta com um único soco pelo menos metade de uma cidade foi destruida, um rival forte o suficiente para resistir ao supersoco provavelmente colocaria em risco metade do planeta, ou o planeta inteiro. E se ele quer que essa pessoa exista, ele quer que pelo menos metade da humanidade seja destruida. Talvez o Saitama seja o verdadeiro vilão de “One Punch Man”. Reflita.

Mas o anime não se resume a um careca megalomaníaco com planos de dominação mundial – esse é o Lex Luthor, ou o Dr. Evil, ou o Caveira Vermelha, ou o Voldemort (carecas na ficção realmente têm um retrospecto duvidoso). A questão é que não podemos falar desse anime sem citar seu melhor personagem: se você pensou no Genos, parabéns, você errou; estou falando dele, ele mesmo, o mais corajoso, o honrado, o mais valente, o grande herói da humanidade, Mr. Satan o Cavaleiro Sem Licença.

one punch man
O sapo e o escorpião

Se de um lado temos Saitama tentando a todo custo destruir a vida na Terra, do outro temos o Cavaleiro Sem Licença para proteger a humanidade. Nessa história ele é o grande representante do estilo shonen, que se caracteriza pelas derrotas consecutivas do herói até que ele consiga superar os seus limites para adiquirir poderes e habilidades suficientes para vencer o vilão. Humilde do jeito que é, o Cavaleiro Sem Licença se contenta apenas com as derrotas consecutivas, mas sempre com muita força de vontade, vale ressaltar.

Além do glorioso Cavaleiro Sem Licença, “One Punch Man” ainda conta com alguns outros personagens interessantíssimos como o velho das artes marciais, o samurai Ginsu 2000, o cara vestido de cachorro, a menina de cabelo verde, o queixudo que luta pelado, o Sasuke genérico que é super rápido e o outro Sasuke genérico que é o herói mais famoso, entre outros. Também não podemos esquecer do Genos, que tem uma história muito triste que ninguém liga.

“One Punch Man” é um desenho muito bacana pois sempre acontece aquilo que você espera que aconteça, porque você não espera que aconteça o que você acha que vai acontecer, você espera uma surpresa. E o fato de você esperar que não aconteça o que vai acontecer, porque é exatamente o que você esperava que aconteceria, torna o anime imprevisível. E isso é uma contravenção. E isso é um mérito.

 


Entre no nosso grupo secreto no Facebook e no grupo do Telegram para interagir com autores dos textos e outros leitores.

The following two tabs change content below.

Leandro Bezerra

Editor, redator e um serumaninho quase legal.