Primeiras Impressões: Narcos (2ª Temporada)

Narcos veio de uma primeira temporada que chamou a atenção em diversos sentidos. Boas tramas políticas e policiais, belíssimas fotografia e ambientação, José Padilha na produção e Wagner Moura como personagem principal, enfim, não faltaram motivos para assistir mais uma das séries originais Netflix. Diversos fatores fizeram com que as avaliações da primeira temporada de Narcos fossem positivas e a cereja no topo da montanha de pó foi um bordão tão excelente quanto pegajoso: plata o plomo!

Feito pra virar meme, não?

Assim, as críticas em torno da primeira temporada giraram em torno do excesso de documentalidade que Narcos carregava além do sotaque de Wagner Moura, coisas que foram analisadas na nossa resenha da primeira temporada. Contudo, a maior preocupação para o desenvolvimento da história era a existência da segunda temporada, já que falta pouco tempo para Pablo Escobar morrer, como diz a sua biografia e a própria campanha de divulgação da Netflix.

O que o primeiro episódio mostra é a conclusão da excepcional fuga da prisão de Pablo Escobar e o seu retorno ao trono de Medellín, lutando contra os subgrupos dos cartéis e fugindo da vigilância policial. Se na primeira temporada nós vimos um mito nascer, agora Pablo assumiu por completo a posição de lenda em Narcos. Não temendo armas, autoridades (oficiais ou não), ou qualquer outra coisa.

maxresdefault
“Quem matou Pablo Escobar?”

Por outro lado, a dupla de policiais, Steve Murphy e Javier Peña, o “bozinho” e o sacana, respectivamente, começam a atravessar a barreira entre justiça e vingança, especialmente Murphy. Esse é um desenvolvimento natural, cantado já na introdução da temporada passada, pois Steve chegou como o típico American nice guy e, aos poucos, vai descobrindo que aqui nos trópicos as coisas funcionam diferente. É visível que para o agente tudo começou a sair apenas do âmbito profissional e do certo e errado, Pablo Escobar está afetando diretamente na sua vida.

Por fim, o governo colombiano resolveu fechar as negociações e o cerco para o narco-terrorista, como Pablo passou a ser chamado, o que é promessa de um desenlace dramático do qual já conhecemos o fim. A segunda temporada de Narcos na Netflix promete ser tão competente e bem executada quanto o que já vimos até então, talvez menos documental e com uma trama mais apertada. Ou seja, muito sangue e emoção deve saltar na tela, de novo.

The following two tabs change content below.
Hippie com raiva.