Coluna | Mudando para os Estados Unidos – Primeiro trabalho com jogos

Senhoras e senhores, vocês já ouviram falar da Dagda Games? Claro que não, pois esta empresa está se inciando e ainda não lançou nenhum jogo. Mas isto está prestes a mudar, pois um novo RPG com base em elementos da natureza está chegando. Por que estou falando sobre isso? Porque este é o meu primeiro trabalho aqui e eu sou o artista-chefe deste projeto.

primeiro trabalho

Para aqueles que não sabem, eu vim para os EUA com o objetivo de seguir meu sonho de contar histórias e a mídia que eu escolhi para seguir com este objetivo foi a mídia gamística dos jogos digitais. Vim para buscar o conhecimento das faculdades, que oferecem excelentes ferramentas para a prática e bons professores para me guiar neste meu caminho. Porém, qual não foi a minha surpresa quando me ofereceram para trabalhar em um jogo antes mesmo de eu ingressar em uma faculdade?!

Meu amigo Jeremy me ofereceu ajuda do abrigo na casa de seus pais, assim como eu disse em meu primeiro texto. Por meio dele conheci o resto de sua família, incluindo seu irmão mais velho, Joel, que estava abrindo uma empresa. Com um pouco de conversa eu disse meus objetivos na terra norte-americana e, assim, após eles verem um pouco do meu trabalho (muito amador), decidiram me contratar.

É claro que o mundo não é mil maravilhas. Não estou recebendo um tostão furado por este primeiro trabalho, tenho apenas a promessa de que quando a empresa lançar seu primeiro jogo eu terei ações desta empresa que com o tempo podem valer alguma coisa. Porém, eu entrei para este grupo de peito aberto por um simples motivo: experiência.

Com o primeiro projeto (que já foi cancelado) aprendi diversas coisas sobre o processo criativo de um ilustrador conceitual. Como uma ideia evolui e se desenvolve em cima dela mesma, com ideias de outros ou experimentações diferentes dentro do mesmo design. Basicamente eles me descreviam um personagem e eu teria que desenhá-lo e mais pra frente fazer um modelo em 3D, animação e etc. Eu entrego algumas ideias iniciais que podem ser mudadas com algumas reuniões e discussões, até chegar ao design final do personagem, cidade, objeto ou criatura.

O grupo gostou muito do meu primeiro trabalho e viu que eu estava muito motivado a continuar. Mas, por eu não ter nenhuma experiência com 3D, teria que praticar muito antes de sair algo realmente utilizável. Foi aí que um pouco dos fundos investidos no projeto foi direcionado para a compra de um computador, com o mínimo necessário para aguentar programas como Maya, Photoshop e outros.

O que eu quero mostrar com este texto é o quão longe alguém pode chegar. Um garoto sem experiência nenhuma e apenas um sonho e perseverança conseguiu chegar nos EUA, conseguir um trabalho para se manter, está juntando uma grana para a faculdade desejada e já está trabalhando no ramo que queria tanto, sem nenhuma experiência prévia. Alguns podem até acreditar que é sorte – e tem um pouco disso também – mas se não acontecesse agora iria acontecer mais tarde, em uns meses ou uns anos. Por que quando se põe um objetivo para seguir em frente é lá que você vai chegar. Um pouco de discurso motivacional de programa matinal da Globo – mas, tudo bem.

Não posso dizer muito sobre o jogo, até por que não tem muito o que dizer, só que estou trabalhando bastante e espero que realmente aconteça. Mas, se não acontecer, a experiência e tudo que eu já aprendi e vou aprender vão valer muito a pena. Quando tiver mais novidades sobre, irei anunciar aqui para todo mundo comprar (hehehe).

____________________________________________________________________________________________

Curtiu o texto? Fala para a gente com um comentário aqui embaixo ou nos nossos grupos do Facebook e do Telegram.

The following two tabs change content below.

caiosantanasilveira

Professor, fotógrafo, sashônico, randômico e Mestre das Orcas às terças-feiras