MesaGeek #19 – Internet Livre?

O assunto de hoje é um tanto sério para acompanhar o período atual. Em meio a processos políticos recebendo todos os holofotes da mídia, uma briga segue ganhando força e voz no cenário brasileiro. De um lado temos um conjunto de operadoras de internet fixa lideradas pela Vivo e com apoio da ANATEL, e do outro os consumidores brasileiros.

Para os que não sabem, recentemente a empresa Vivo optou por passar a comercializar pacotes de internet com franquia de dados no seu serviço de internet fixa. A princípio tal movimento não gerou grande repercussão pois tal estratégia sempre foi aprovada pela Anatel e algumas operadoras já se usavam dela desde 2004. O problema surgiu quando a simples opção de planos da Vivo foi substituída por um discurso de substituição dos antigos planos ilimitados pelos planos de Franquia. Tal discurso agregou diversas empresas ao movimento da Vivo que recentemente ganhou apoio da ANATEL.

Agora que a situação está explicada vamos ao que realmente interessa. “Como isso afeta a minha internet?”. Atualmente a maioria dos contratos vigentes de Internet Banda Larga ofereciam dados ilimitados dentro de uma velocidade pré comercializada. De acordo com a nova norma aprovada pela Anatel, as empresas passam, além de comercializar a velocidade, negociar pacotes de dados que definem o quanto de internet o cliente pode usar – pacotes esses que não ultrapassam 60gbs/mês.

Na prática isso é uma quantidade bem irrisória pra quem usa serviços como YouTube, Netflix e downloads em geral. Por exemplo um episódio de 15 minutos de uma série no Netflix já equivale a 1,1 GB na maioria dos casos. Ou seja: em um mês, se você contratar o maior pacote possível e usar a internet exclusivamente para o Netflix, você terá a incrível quantidade de menos de 15 horas de suas séries e filmes favoritos. Se quiser olhar um vídeo no YouTube, ou ler uma matéria no jornal online, já terá menos tempo.

Mas por que levantar um tema sério como esse em uma coluna de jogos? Bom, ontem, dia 19 de abril, o presidente da ANATEL se pronunciou apontando a culpa dessa mudança na internet banda larga aos jogadores online, pois tal atividade estaria diminuindo a qualidade do serviço das prestadoras de serviço. Ou seja, no lugar de seguir o resto do mundo e apostar em melhorias no serviço e técnicas de transmissão mais avançadas, o Brasil opta por retroceder e voltar à época da internet discada onde cada minuto era cobrado.

A comunidade gamer não é conhecida por seu engajamento em causas sociais, porém dessa vez os cortes estão sendo apontados para nossas cabeças. Aos poucos o movimento Internet Livre vem ganhando força e voz. Após as palavras da ANATEL, é de se esperar uma grande revolta do público dos jogos e com isso uma força ainda maior para derrubar essa proposta que só fere os nossos direitos como consumidores. Pela primeira vez a caótica terra de ninguém da Internet se começa a se unir em uma causa.

***

Leia Também:

A última MesaGeek, sobre Quanto Vale Um Jogo Indie?

O repeteco dos jogos e o Mais do Mesmo

Relembre nossa cobertura da Brasil Game Show 2015

The following two tabs change content below.
Do cult popular ao pop culto: PontoJão é o lugar para você ir além do senso-comum. Seu ponto além da curva.