Luke Cage Noir (2010)

“Só um detalhe: Considerando que acabei de sair do xilindró, você precisaria me adiantar uma graxa, caso queira que eu já rode ligeiro atrás do seu barulho.”

Luke_Cage_Noir_Vol_1_4_Variant

Um belo dia, a Marvel decidiu lançar uma minissérie com alguns personagens em um teor Noir. O Noir é a palavra francesa para “preto”, mas se tratando sobre mídia é um estilo que surgiu nos cinemas, que consiste em um drama criminal geralmente encenado na parte mais suja de uma cidade grande. Com isto, nosso querido Luke (que trouxe a inspiração para o nome artístico de Nicolas) Cage, tem a sua versão “negra” do noir.

Luke Cage é um humano com a pele impenetrável que por algum motivo estava na prisão. Assim que consegue sua soltura em meados dos anos 60, ele tenta voltar à normalidade e conseguir algumas respostas sobre uma importante mulher de sua vida. Eis que um homem branco aparece lhe oferecendo uma oportunidade de investigação, e Cage aceita com uma certa relutância.

luke cage noir

O roteiro foi feito em conjunto por Mike Benson e Adam Glass, com a arte de Shawn Martinbrough e cores de Nick Filardi. A história é bem simples, mas traz algo que já está batido de uma forma muito boa, o “Blaxploitation” – que nada mais é que uma história estereotípica de negro. A investigação se passa em um bairro de negro, as gírias são muito mais usadas pelos personagens negros, e trata também sobre o racismo e a admissão de negros na nova sociedade. Nada de novidade é trazido no argumento, mas nada é mal feito. Os personagens são bem explorados e bem motivados, com um final interessante para todo o mistério.

A arte é boa e conversa bem com o estilo noir. A coloração fez um excelente trabalho com cores escuras, densas e muito bem exploradas em cada ambiente, nunca o deixando muito iluminado, o que quebraria totalmente o clima proposto. A tradução para português por Fernando Bertacchini merece os parabéns, usando um grande acervo de gírias antigas a todo momento, entregando até um ar nostálgico, que talvez não lhe faça se lembrar daquela época, mas pelo menos se lembrar do seu vovô que falava desta forma.

luke cage noir

Apesar de trazer nada de novo ou extraordinário, é uma história em um estilo que não é muito explorado nos dias de hoje. Isso pode despertar no leitor uma vontade de procurar por excelentes filmes, quadrinhos e livros com a mesma dinâmica – o que é altamente recomendado.

***

Leia Também

Ficou curioso sobre esse tal de noir, o estilo já foi abordado aqui no Classicologia

Já que mencionamos racismo, aqui vai um cast sobre o último Oscar

Mais opiniões de alguns quadrinhos Banca Cast #02

The following two tabs change content below.

caiosantanasilveira

Professor, fotógrafo, sashônico, randômico e Mestre das Orcas às terças-feiras