Lista #12 – Séries Sobre Política

Ao contrário de samba, você não precisa ser ruim da cabeça ou doente do pé para não gostar de política. A antiga “arte de gerir a cidade” foi gradativamente ganhando fama de esgosto da sociedade, e a frase “eu não gosto de política” se tornou muito comum no Brasil, principalmente nos anos 80/90.

Os últimos anos viram um novo crescendo do brasileiro em relação à esta área da sociedade, enquanto a terra do Tio Sam sempre teve orgulho das suas instituições – apesar dos esqueletos no armário que, não se enganem, os estadunidenses também possuem. Esse interesse está bem representado em filmes e séries, e a equipe do Resenhas separou algumas das principais para você que, gostando ou não de política, ainda gosta de uma boa história de drama e/ou comédia.

Vamos lá?

"Vamos, Erik!"
“Vamos, Erik!”

Scandal

Scandal-Logo

Canal: ABC

Temporadas: 4 (69 episódios; em exibição)

Como anda? Mais uma série da Shoda Rhimes (“Grey’s Anatomy”, “Private Practice”, “How to Get Away With Murder”) que virou hit na ABC (também conhecido como “Shonda Rhimes Channel”).

A série conta a história de Olivia Pope, uma assessora de Washington DC que tem como função fazer os escândalos de políticos desaparecerem – e é muito boa em seu trabalho. Kerry Washington faz o papel de Olivia, e o comprometimento da atriz no papel deu substância à série que cresceu em audiência ao longo dos anos.

The West Wing

ww1

Canal: NBC

Temporadas: 7 (156 episódios; encerrada em 2006)

Como anda? A primeira das duas séries de Aaron Sorkin (roteirista ganhador do Oscar de “A Rede Social”) nessa lista, “The West Wing” contava a história das vidas de políticos da Ala Oeste da Casa Branca, com foco no presidente Josiah Bartlet (interpretado por Martin Sheen).

A série era elogiada por sua verossimilhança em relação à atmosfera do local e seu roteiro rápido e inteligente – característica marcante de Sorkin. Premiadíssima, levou três Globos de Ouro e vinte e seis Emmys ao longo de seus 7 anos. Os presidentes Ford, Jimmy Carter e Bill Clinton foram alguns que comentaram sobre o clima da série que foi responsável por falar de política para toda uma geração.

 

The Thick of It

thick-of-it

Canal: BBC

Temporadas: 4 (24 episódios; encerrada)

Como anda? Estrelada pelo atual Doctor Peter Capaldi, “The Thick of It” era uma comédia britânica mãe de outra série genial dessa lista. Assim como sua prole, a série da BBC não poupou palavrões ao longo das suas quatro temporadas em anos espaçados (séries britânicas…).

O humor também é característico da terra da Rainha; o ritmo é acelerado e pontuado por piadas que demandam atenção ao telespectador e recompensam aqueles que acompanham a série há mais tempo.

Veep

Veep-Banner

Canal: HBO

Temporadas: 4 (38 episódios; em exibição)

Como anda? Concebida pelo mesmo criador de “The Thick of It”, essa eu acabei de ver literalmente ontem. “Veep” traz Julia Louis-Dreyfus (a Elaine de “Seinfeld” e a Old Christine) e um elenco excelente (que inclui o Buster de “Arrested Development” e a garotinha de “Meu Pequeno Amor” que vai fazer você esquecer do filme bem rápido) em uma comédia totalmente frenética.

Sucinta, a história que levou a protagonista Selina Meyers ao cargo de vice-presidente dos EUA é contada através de recortes de jornais na abertura da série. Isso já dá o tom do passo da comédia, que mantém uma trama linear rápida na qual saltos temporais não são raros. Uma série maravilhosa para assistir em uma maratona (disponível na HBO GO).

Parks and Recreation

maxresdefault

Canal: NBC

Temporadas: 7 (125 episódios; encerrada)

Como anda? Uma das minhas queridinhas, “Parks and Recreation” era um falso documentário para todas as idades que acabou esse ano, depois de lutas contra a baixa audiência toda temporada. Estrelada por Amy Poehler, “Parks” contava o dia-a-dia de uma pequeno Departamento de Parques da cidade fictícia de Pawnee, Indiana.

O charme de “Parks” é completamente irresistível, e nas mãos dos competentes roteiros, a cidade de Pawnee se expande ao ponto de se tornar um ator a parte. Enquanto isso, os personagens de fato cresceram de maneira exponencial, embora ainda mantendo o encanto bucólico de cidade pequena que nunca deixou a série. Uma das melhores comédias da história da TV – embora não tão boa quanto a “Johnny Karate Super Awesome Musical Explosion Show”.

The Newsroom

The_News_Room_Crédito_HBO

Canal: HBO

Temporadas: 3 (25 episódios; encerrada)

Como anda? Nesta outra série de Aaron Sorkin na nossa lista, a abordagem é através do ponto de vista da mídia. Will McAvoy (Jeff Daniels) é o apresentador de um importante telejornal a cabo estadunidense que se vê como um dos poucos republicanos em uma redação composta por jovens da era da internet.

“The Newsroom” ficou viral depois de o vídeo da primeira cena da série na qual Will fala porque os EUA não são o melhor país do mundo – o que para eles é um gigantesco disparate. Este vídeo dá o tom da série; Sorkin tenta o tempo todo recuperar, através de tentativas de redenção de seus falhos (e tagarelas) personagens, a antiga glória dos EUA.

Apesar de algumas conclusões política e às vezes até moralmente equivocadas (principalmente na terceira temporada), “The Newsroom” trouxe um frescor incrível à televisão, e deixou saudades (e lágrimas) em muitos telespectadores lá em casa.

 

House of Cards

house_of_cards_divulgacao

Canal: Netflix

Temporadas: 3 (39 episódios; em exibição)

Como anda? O objetivo dessa lista era ir além de “House of Cards”, mas é impossível não citá-la. A série da Netflix foi a primeira websérie a ser receber os principais prêmios do Emmy, e colocou o serviço de streaming no mapa – e Kevin Spacey no lugar que sempre lhe foi devido.

Caso você esteja em um bunker e ainda não saiba, “House of Cards” conta a história de Frank e Claire Underwood, um casal de Washington que, depois de serem traídos pelo presidente eleito dos EUA, começam um plano incansável de vingança. Embora seja claramente dramatizado (os especialistas dizem que Washington é muito mais “Veep” do que “House of Cards”), a história e o formato usado para contá-la são extremamente instigantes e é simplesmente impossível de não ver até o final. Uma trama mais puxada na política em si, as atuações te prendem quando os termos desconhecidos te perdem. “House of Cards” tem que estar na sua lista.

 

E aí, indica mais alguma? Esquecemos alguma série que deveria estar na lista? Deixa aqui nos comentários para a gente poder assistir!

The following two tabs change content below.

erikavilez

Erik (sem C) é escritor, roteirista e dançarino de hula profissional lá fora. Aqui dentro, Erik é redator-chefe e comercial do site, além de criador, host e editor do PontoCast, o podcast carro-chefe da casa.