Yellow Sounds #68 – Everybody Knows This Is Nowhere (1969)

Um álbum para ouvir de olhos fechados….

Everybody Knows This Is Nowhere é um clássico. “Ouvir de olhos fechados” poderia indicar que é um desses álbuns tão bons que não há riscos, pode ouvir sem medo, e realmente é. Mas busco aqui um sentido mais literal mesmo porque essa obra prima de Neil Young merece ser desfrutada dessa forma, como se mais nada existisse no mundo.

Aos vinte-e-poucos-anos, o canadense que marcou seu nome na história do rock americano e mundial seguia a passos largos para a consolidação de seu sucesso. É certo que houve percalços desde os problemas da banda anterior, a Buffalo Springfield, e a recepção mais ou menos ao também mais ou menos álbum de estréia em carreira solo.

 

Em busca de algo a mais, Neil convocou os músicos que ficaram conhecidos como a Crazy Horse, a mais importante banda de apoio de sua carreira. À época, Danny Whitten, Billy Talbot e Ralph Molina chegaram para colocar um tempero no country rock que Neil já conhecia e fazia bem.

A mistura foi perfeita. O bom entrosamento garantiu que a banda gravasse o álbum com facilidade, em apenas duas semanas. Dele, surgiram faixas que recebem destaque até hoje, quase 50 anos após seu lançamento.

Cinnamon Girl e a homônima Everybody Knows This Is Nowhere puxam a fila, a primeira mais rock e a segunda mais country. Ambas excelentes. Round & Round (It Won’t Be Long), que aparece na sequência, é a faixa que menos me atrai, mas tem sua importância porque é justamente a que determina a hora de fechar os olhos e embarcar de vez na viagem desse álbum. Nela, Neil divide os vocais com Robin Lane, cuja voz parece reforçar esse convite.

E aí passamos para Down By The River que é, sem dúvida, a minha favorita. Junto com Cowgirl In The Sand, outra clássica, são as faixas mais longas do álbum e nos presenteiam com momentos super agradáveis em que a guitarra é o elemento principal.

Na mesma vibe relaxante está Running Dry (Requiem For the Rockets), que conta com um belo violino. E, para evitar que a gente acabe se perdendo em meio a viagem toda, The Losing End (When We’re On) aparece no meio de tudo isso, num country um pouco mais animado e envolvente.

Everybody Knows This Is Nowhere tem apenas essas sete faixas e é bem provável (se não me falha a memória) que essa seja a primeira vez que eu destaque uma a uma na Yellow Sounds. Isso porque flui tão leve e naturalmente que não poderia ser de outra forma!

Aos 71 anos e décadas de carreira, Neil Young acumula outros sucessos, mas Everybody Knows This Is Nowhere é, indubitavelmente, um marco para ele (e para nós) e um dos melhores álbuns de todos os tempos. Enjoy!

 

The following two tabs change content below.

lrmatta

Lari Reis é um ser de outro planeta que acredita que se transformará em purpurina roxa quando morrer. Até lá, passa o tempo tentando aprender algo sobre música.