Comentário: Review (2014-2017): você só tem a sua vida, mas ela presta?

Nós temos gente demais revisando livros, quadrinhos, filmes e séries: a cada dois minutos nasce um novo blog inovador na internet para fazer exatamente isso[1]. Mas e quanto à vida? E quanto às experiências que sempre quisemos saber se são boas ou não, mas não conseguimos? Como saber como é ir ao espaço, ou ser líder de uma seita ou atirar no seu próprio filho? Ainda bem que temos Review para estes momentos.

Para essas e outras dúvidas existenciais, Forrest MacNeil (Andy Daly), o revisor da vida, que vive e avalia essas experiências em uma escala de meia estrela até cinco estrelas.

review

A série do Comedy Central é no formato mockumentary – como “Modern Family” e “The Office” – e acompanha Forrest nas avaliações dele, de forma que nos sentimos assistindo o próprio programa. No show, a co-apresentadora, AJ Gibbs (Megan Stevenson), clica em sua tela e uma proposta de experiência é selecionada aleatoriamente para Forrest, e lida no palco. A partir daí, MacNeil ganha o mundo para revisar qualquer coisa que lhe seja pedida.

O problema é que o ser humano é, geralmente, bem ruim, e as experiências que pedem de Forrest vão desde vício em drogas e ser racista até comer 15 panquecas de uma só vez. Por um lado, é impressionante as conexões absurdas e os pedidos sem sentido que as pessoas fazem; por outro lado, é certo que, caso Review realmente existisse, seriam essas as perguntas que chegariam para ele. A soma de expurgar desejos ocultos com o prazer de ver outra pessoa se dando mal provavelmente seria o fio condutor do programa.

review
COCAÍNA! [risadas]

Isso já seria ruim o suficiente mesmo se Forrest não fosse absurdamente comprometido com o programa e um pouco obtuso – o que ele é. Forrest leva seu compromisso com o show às últimas consequências, ultrapassando qualquer limite de bom senso (e da lei), e priorizando cumprir suas reviews da vida sobre sua família e seus próprios interesses mais básicos – como não ser preso ou morrer, por exemplo.

A desvantagem para Forrest é que, ao longo dos poucos 22 episódios distribuídos por três temporadas, os resultados de seus atos acumulam-se, e os desdobramentos crescem em seu nível de “que p*$%# é essa?!”.

review

Já para nós, como audiência, isso é maravilhoso. É aí que Review brilha: apoiando-se na atuação de Andy Daly, conseguimos nos inserir na vida de Forrest e sentir sua paixão pelo programa, por mais idiota que sejam suas tarefas, e por mais que seu produtor e assistentes não deem a mínima – nem para ele nem para seu trabalho. Mais de uma vez me perguntei se eu acharia o programa divertido da mesma forma caso ele fosse real. Preferi não me responder.

review

Uma série brilhante e de vida curta, Review pode ser vista rapidamente e certamente figura entre uma das séries de comédia mais criativas, absurdas e divertidas feitas na última década. Com pouco respeito pela lei e os bons costumes, Forrest MacNeil vai fazer o que for preciso para revelar se essa vida – que é tudo o que você tem – presta.

Para Review eu dou cinco estrelas.

***

[1] Estatística completamente inventada e sem nenhuma base científica.

The following two tabs change content below.

erikavilez

Erik (sem C) é escritor, roteirista e dançarino de hula profissional lá fora. Aqui dentro, Erik é redator-chefe e comercial do site, além de criador, host e editor do PontoCast, o podcast carro-chefe da casa.