Comentário: Guerra Civil (2006-2007)

“Isso importa? Todas essas crianças, Tony. O chefe da FEMA disse que pode ter havido oitocentas ou novecentas baixas. Todos mortos por causa de um Reality Show ridículo.”

Marvel-Civil-War-3.png

Título: Guerra Civil

Roteiro: Mark Millar

Arte: Steve McNiven (desenho), Dexter Vines (arte-final), Morry Hollowell (cores)

Ano: 2006/2007

Com um argumento ousado e quase inovador, Guerra Civil coloca TODOS os heróis da Marvel em um lado desta guerra, e quando eu digo todos os heróis isso significa muitos heróis mesmo. Tudo começa com a ridicularização da quantidade de heróis que existem. Um grupo de heróis adolescentes criam um Reality Show mostrando o seu dia-a-dia de combate ao crime, até que eles decidem enfrentar vilões que são acima de suas habilidades, resultando em uma explosão acidental que mata centenas de pessoas e destroi uma escola infantil. O quantidade de baixas chocou os Estados Unidos fazendo com que o povo pedisse por um tipo de registro para os superheróis.

Capitão América não aceita a proposta, por ser escusa e perigosa para a vida das pessoas por trás das máscaras, o que faz dele um fugitivo da Lei de Registro, sendo caçado pela SHIELD. O Homem de Ferro surpreendentemente é a imagem mais forte apoiando a lei, sendo fácil para ele, pois sua identidade secreta não é nem um pouco secreta. Isso divide todos os heróis em dois times, os que concordam com a lei e os que são contra. A guerra se complica causando mortes, separação de grupos e outras tragédias.

Civil_War_Fight.jpg

A saga é muito bem desenvolvida nas motivações dos personagens, fazendo os dois lados tomarem decisões drásticas que jamais tomariam em outras ocasiões. Mark Millar fez muito bem em escrever esta saga de forma imparcial, não deixando claro quem está certo ou errado, focando mais na diferença de ideais. O desenho e arte final está impecável formando cenas de batalhas épicas com muita informação em páginas duplas; o colorista fez um excelente trabalho também entregando tons fortes de todas as cores para destacar os personagens.

A quantidade de personagens pode ser confusa no início, mas se você se determina a se abster da maioria e focar nos principais para a trama, isto não irá trazer problemas. O final é um pouco anticlimático, deixando até um “cliffhanger” (final-sem-final), mas nada que danifica a história. Excelente saga para ler antes de comprar a pipoquinha para o próximo filme do Capitão America.

LEIA TAMBÉM:

Quer mais um pouco de Marvel? Demolidor: A Queda de Murdock (1986)

Cansou dos Estados Unidos, temos brasileiros também com Turma da Mônica – Laços (2013) ou Valente (2011-2016)

The following two tabs change content below.

caiosantanasilveira

Professor, fotógrafo, sashônico, randômico e Mestre das Orcas às terças-feiras