Bloodline: 3ª Temporada (2017) trilha bem para o seu fim (primeiras impressões com spoilers)

Finalmente, “Bloodline”, a excelente série de suspense da Netflix volta para sua terceira e última temporada. A trama gira em torno da família Rayburn, que têm seus segredos relevados depois da volta do irmão mais velho, Danny (Ben Mendelsohn). Diante da season finale turbulenta no seu segundo anos, eis que retornamos no mesmo ponto dos eventos passados ao vermos o começo deste ano. Até onde os Rayburns podem chegar para guardar os segredos da família?

Na primeira temporada, acompanhamos as camadas da tradicional família Rayburn sendo desfeitas; embora tenha começado de maneira morna, gradativamente fomos envoltos nos dramas dos seus personagens. Em sua segunda temporada, foi a vez de vermos as consequências dos atos dos Rayburns, numa trama que só crescia à medida que surpreendia. No entanto, nem todas as respostas foram dadas, e chegou a hora de recebermos um desfecho para John (Kyle Chandler), Meg (Linda Cardellini, a Velma de “Scooby-Doo”) e companhia.

bloodline

Mesmo que a segunda temporada tenha sido fervorosa, um fator que permeou seus dez episódios ainda se faz presente para o seu terceiro ano: seria necessário “Bloodline” recorrer para as mesmas reviravoltas a fim de manter a qualidade de sua trama? Certo que fomos surpreendidos em várias situações, mas também vimos se repetir a morte de um personagem em momentos de tensão, o que deixava um bom roteiro previsível, pelo menos nesse quesito. Claro que o suspense só aumentava e não decepcionava, e tampouco demorava a apresentar uma resolução, mas vendo isso mais uma vez, no encerramento da temporada, subiu a dúvida sobre a repetição da série.

Diante do seu primeiro episódio da terceira temporada, por continuar exatamente de onde terminou o seu segundo ano, não tivemos um avanço relevante, mas que mantém e indica que ainda terá muito material a ser utilizado. O que foi um ponto interessante, porque além das expectativas para que terceira temporada encerre tão bem a história dos Rayburns, ela nos passou a sensação de que não há tempo e que as coisas realmente estão mais tensas do que nunca.

De maneira nenhuma isso se torna um empecilho que comprometa a trama da série; pelo contrário, o foco maior continua na família Rayburn. Mesmo que com um ou dois plots que acabaram não se firmando e sendo desnecessários, esperamos pela resolução do que nos aguarda no seu último ano. Afinal, o que nos espera em “Bloodline”? Se até aqui não nos decepcionamos, o que resta é esperar que a temporada mantenha o nível e os feitos das suas antecessoras.

The following two tabs change content below.

Felipe Oliveira

Gosto de tudo um pouco, mas me limito em não arriscar muito e talvez escrever seja o meu momento mais sincero no qual posso expor minhas ideias e pensamentos.