Animal Kingdom – 2ª Temporada (2017l) um retorno morno, porém empolgante (primeiras impressões sem spoilers)

Baseado no filme homônimo australiano de 2010, Animal Kingdom traz a história de J (Finn Cole), que após perder a sua mãe passa a morar com sua avó Janine (Ellen Barkin) e seus tios Deran Cody (Jake Weary), Craig Cody (Ben Robson), Pope (Shawn Hatosy) e Baz (Scott Speedman), mas que aos poucos acaba se envolvendo nos conflitos da família conturbada a que pertence.

É fato que um formato de série tem um tempo maior para desenvolver plots e personagens, sendo eles relevantes ou não. O filme é bem objetivo, mas competente, e a série soube explorar muito do que o mesmo apresenta sem aprofundamento. Um dos destaques da primeira temporada, com certeza, ficou com os personagens; assim como o longa trouxe um elenco interessante que desempenhou bem os seus papéis, pode se dizer que a série os tornou melhores.Animal Kingdom

O seu primeiro ano foi tenso, repleto de reviravoltas, e claro, encerrou com pontas soltas suficientes, a fim de não entregar rapidamente a sua resolução – quem assistiu ao longa sabe o que pode acontecer –  depois de uma excelente temporada. A volta da série manteve, sim, o ritmo que emplacou a temporada anterior, porém apresentou um episódio morno por não avançar na sua trama. Como também soou estranho ao introduzir novas informações.

No entanto, se a trama não avançou, o mesmo não pode se dizer sobre os seus personagens. A série sempre executou com maestria suas cenas de ação, mas não é somente isso que a torna tão boa e garante a sua qualidade, e, finalmente, tivemos diálogos que colocaram as diferenças entre os personagens de maneira que não permitiu que o episódio fosse tão parado e vimos que o potencial da série ainda estava ali.

Apesar disso, a questão que fica é: até onde os roteiristas irão para contar a trajetória de J? Será necessário se tornar repetitiva ou continuar arriscando para manter a qualidade? A primeira temporada desenvolveu sua trama sem nenhum problema; apesar de previsível em alguns momentos, tivemos o suficiente para acompanhar a série. Mas, o pilar que ainda instiga é o J. Dentre os problemas que rodeiam a sua família disfuncional, é ele quem diverge das situações. E a complexidade do personagem e o talento de Finn Cole transmitem isso tão bem.

É cedo para dizer como será a segunda temporada de “Animal Kingdom”, ainda temos muito drama para render e ganchos que poderão chacoalhar e colocar a série num nível muito diferente do que esperamos. E o melhor: já temos, aos poucos, o caminho do longa sendo traçado e definido através dos personagens. É certo que estamos sujeitos a mudança, mas por enquanto, vale a pena criar expectativas.

The following two tabs change content below.

Felipe Oliveira

Gosto de tudo um pouco, mas me limito em não arriscar muito e talvez escrever seja o meu momento mais sincero no qual posso expor minhas ideias e pensamentos.