Lista #2 – 10 Filmes para ver no Valentines Day.

Dia 14 de fevereiro é o dia de São Valentim, vulgo Valentines Day. O dia internacional dos namorados é um dia para enviar cartões, comprar flores, chocolates, e, por que não, fazer uma seleção de filmes românticos para assistir com aquela pessoa <3

Pois aqui vão 10 filmes para curtir um Valentines Day (lembrando, essa não é uma lista de melhor ou pior o de qualquer tipo de valoração, são apenas sugestões). 

1 – 10 THINGS I HATE ABOUT YOU (10 Coisas que Eu Odeio em Você)

Sim, é uma história de amor adolescente. Sim, possui vários clichés do gênero. Mas, sim, o filme é muito legal justamente por isso. Um detalhe interessante é que um desses clichés de gênero é, justamente, ter suas personagens baseadas num clássico Shakespeareano, A Megera Domada. Além disso, a atuação de Heath Ledger é muito marcante e ver o Joseph Gordon-Levitt novinho é legalzinho.

Ah, e eu não poderia deixar de lembrar da cena clássica em que Heath Ledger canta Can’t Take my Eyes Off You com uma banda marcial, amolecendo o coração da megera Kat, interpretada por Julia Siles.

2 – Casablanca

Como toda história de amor precisa de um bom drama, por que não um drama clássico? Em Casablanca Rick, o personagem principal vê-se num dilema: ou luta por seu amor a Ilsa Lund (agora casada com Victor Lazlo, líder da resistência Tcheca) ou ajuda-a a escapar com seu marido da cidade marroquina sob domínio francês em plena guerra mundial. Não é preciso dizer que o tempo contribuiu para a formação desse clássico do cinema

3 – Midnight in Paris (Meia noite em Paris)

Uma das obras de Woody Allen que retratam a Europa, Midnight in Paris é um filme romântico, mas talvez com um romantismo mais voltado para as artes, já que o casal que aparece nos cartazes brasileiros é um fracasso ao longo de todo o filme, e em geral, nenhum amor dura nesse título. Ainda assim, vale lembrar que o filme se passa em Paris, ou seja, naturalmente tudo que sai da boca dos personagens ecoa romantismo. Vale lembrar que o Resenhas.Jão já escreveu sobre esse filme e você pode conferir essa análise clicando aqui.

4- Hitch (Hitch – Conselheiro Amoroso)

Fora da Filadélfia e de Bel-Air, Will Smith entra para nossa por lista motivos de um filme improvavelmente bom. Sim, novamente, vários clichés, várias frases que parecem saídas da traseira de um caminhão, mas, afinal de contas, a história é divertida e o Will Smith é um cara legal, além disso, a maioria dos caras extremamente desajeitados e vítimas de bullying  se sentem muito bem vingados por Albert, vivido por Kevin James.

5 – Eternal Sunshine of a Spotless Mind (Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças)

Ok! Esse não é um filme tão leve, mas é inegável que as histórias que acontecem ao longo de todo ele têm um viés romântico no mínimo válido para estar nessa lista. Além disso, o filme tem um super elenco. Nos papeis principais, um improvavelmente-fazendo-um-filme-que-não-é-minimamente-humorístico Jim Carrey contracenando com Kate Winslet, e de coadjuvantes vemos Eliah Wood (o eterno Mr. Frodo), Mark Rufallo e Kirsten Dunst. É possível se divertir muito nos vários flash-backs de memória que o filme é contato. Aliás, nós também já avaliamos ele aqui.

6 – Lisbela e o Prisioneiro

Esse filme entra na lista por motivos de eu gosto, não tem nada a ver com aquelas cotas ridículas de incentivo à produção a disseminação do cinema nacional. Aliás, que porcaria de cinema nacional que precisa de ajuda do governo pra ser feito e pra ser visto, se fosse bom as pessoas simplesmente veriam. Enfim, Lisbela e o Prisioneiro tem um lugar especial no coração porque foi minha experiência na sala de cinema e, como todo mundo sabe, a primeira vez a gente nunca esquece. Hoje, 11 anos depois de ter assistido esse filme na sala de cinema pela primeira vez, consigo ver que ele tem uma trilha muito boa (com Caetano Veloso, Los Hermanos e a improvável junção de Sepultura e Zé Ramalho) e, apesar dos rostos serem sempre os mesmos rostos do cinema/tv nacional, o roteiro em si é bom porque é adaptado de uma peça teatral.

7 – Titanic

Aqui, novamente um amor como tantos outros do cinema, impossível, incontrolável, e trágico. Quem nunca alugou Titanic em VHS e ficou séculos esperando a fita rebobinar? Pois é, ele entra na lista por ser um clássico dos filmes românticos, por uma das cenas mais parodiadas da história, por ter uma das mortes mais questionáveis e questionadas da história do cinema, e, principalmente, por ser mais um filme sem o DiCaprio ganhar Oscar.

8 – The F Word ou What If (E se?)

Bom, eu assisti esse filme para ver o Daniel Radcliffe fora de Hogwarts. O filme é normal, nada realmente revolucionário. Wallace, personagem de Radcliffe, é um depressivo miserável com sotaque carregado. Ele abandonou a faculdade de medicina porque a namorada dele estava dormindo com o professor de Anatomia. Aí ele faz o que todo mundo faria /~não!~/ resolve se tornar anti social por um ano. Um amigo muito próximo o convence a ir a uma festa, e quando ele se vê completamente entendiado, conhece uma garota. A moça, Chatry (encenada por Zoe Kazan), já tem namorado.

Entre cresce uma amizade. Cliché feito, já dá pra saber como funciona o filme. Mas, apesar disso, é um filme divertido com vários diálogos esquisitos. Hipsters vão amar esse filme por diversas razões, vão por mim.    

9 – The Reader (O Leitor)

Novamente, mais um filme que não é tão leve assim e precisa de um tempo para ser digerido. O que temos aqui trata-se de um romance peculiar situado na alemanha da década de 40, que começa de forma praticamente pedófila, com a mulher madura, Hanna Schmitz (Kate Winslet), e menino Michael Berg (David Kross). O casal desenvolve-se, basicamente, em torno de duas atividades: quando não estão fazendo amor, Michael lia para Hannah. O tempo passa, o casal acaba se separando, e o nazismo toma conta da Alemanha. Dando um salto no tempo, Michael Berg, agora estudante de direito, como atividade proposta pela faculdade, assiste ao julgamento de diversas pessoas envolvidas em atividades nos campos de extermínio, entre elas, Hanna. Daí ele se vê num terrível dilema entre revelar um segredo embaraçoso da vida de Hanna, ou vê-la sendo condenada à prisão perpétua. Para quem gosta de personagens problemáticos e complexos e histórias intrincadas, prato cheio.

10 – Shakespeare in Love (Shakespeare Apaixonado)

Trata-se de uma ficção que remonta um momento histórico de maneira totalmente fictícia. William Shakespeare precisa escrever uma nova peça e para precisa de uma musa inspiradora. Assim ele conhece Lady Viola (Gwyneth Paltrow), se inspira e se apaixona, e escreve Romeu e Julieta. As tramas das duas histórias são entrelaçadas na parte romântica, mas não na trágica. Além disso, o filme traz vários fatos e personagens que realmente existiram de uma forma interessante.

E por aqui fica a nossa lista que, além de trazer opções bizarramente diferentes, conta com várias participações da Kate Winslet.

Até a próxima!

The following two tabs change content below.
Hippie com raiva.